POLARIZAÇÃO

AS ARMADILHAS QUE SE ESCONDEM EM AMBOS OS LADOS DA MOEDA


LIVRE-SE DA OBRIGAÇÃO DE ESCOLHER UM LADO
Seguindo a ideia de esclarecer bem alguns conceitos gerais antes de voltar a entrar em assuntos específicos vamos hoje falar sobre os problemas existentes na atitude de se polarizar, ou seja, quando a pessoa decide escolher "um lado" para defender, um time, uma determinada ideologia filosófica ou política ou como gosto de dizer, se alistar em um dos exércitos que entram em combate, sangram e no fim quase sempre não resolvem nada.

Sabemos que neste mundão de meu Deus Metal existem as mais diversas opiniões sobre os mais diversos assuntos que tentam criar as mais diversas soluções para os mais diversos problemas. Logo, como não poderia deixar de ser, como animais sociais que somos (mais animais que sociais, e não no bom sentido a meu ver) nós seres humanos temos aquela já velha e conhecida tendência a nos organizarmos em grupos de afinidades ou interesses, afinal de contas torna as coisas mais fáceis e as trocas de idéias mais dinâmicas e isso ocorre em praticamente todas as áreas da vida que se possa imaginar como por exemplo as religiões, sindicatos trabalhistas, partidos políticos, grupos defensores de direitos dos mais diversos tipos de seres e culturas, etc, etc e etc que eu acho que você é capaz de imaginar.

Mas, e como sempre aqui temos um "mas"... é claro que as pessoas fazem merda e a coisa é utilizada para objetivos escusos.

GENERALIZAÇÕES !

CONSIDERAÇÕES SOBRE ESTE RECURSO MUITO UTILIZADO

MAS BEM QUE PODERIAM SER, HEIN, SUAS LINDAS... ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Hoje vamos falar sobre a generalização, um recurso discursivo muito útil, mas também muitas vezes mal usado por quem discursa ou mal interpretado por quem recebe a mensagem.

Pretendo deixar este assunto e a maneira como lido com ele o mais claro possível aos leitores neste momento pois assim passarão a ter maior facilidade de entender e digerir tudo aquilo que virei a escrever e descrever em posts futuros, evitando que os comentários feitos por vocês girem sempre em torno deste aspecto dos textos, como "Não generalize, Tirano","Nem todo mundo é assim!", "Seu idiota!" etc, etc, etc... colocando um ponto final a esta discussão, que caso reparem, vem desde lá do inicio nos comentários do primeiro e pré-histórico  texto aqui postado sobre machismo onde falei sobre homens e mulheres de maneira geral, mesmo sendo o primeiro texto e procurando deixar o tom de humor acima de qualquer outra coisa.

Então vamos dar uma passada rápida em uma definição do que seria uma generalização deste tipo que estamos falando.

WIKIPEDIA:
Generalização é um elemento fundamental da lógica e raciocínio humanoA generalização é uma dedução baseada na reunião de propriedades particulares que seu autor entende serem correlatas, que por inferência dá como resultado a atribuição dessas mesmas propriedades a objetos que esse mesmo autor entende serem similares. É uma estratégia de raciocínio, e não uma realidade comprovada. Ainda pode ser definida como operação do espírito que consiste em comparar as qualidades comuns a uma classe de indivíduos, desprezando as suas diferenças e reunindo essas qualidades comuns numa só ideia, que as fixa e define

RAMBOS DO TECLADO

QUANDO OS VALENTÕES VIRTUAIS ATACAM !
RÁTÁTÁTÁTÁTÁ [ENTER]
Bom, como tenho anunciado aos 4 ventos feito um trouxa voltei aos escritos aqui no blog pretendendo manter uma periodicidade semanal, sempre por volta da sexta feira/sábado, mesmo depois de um hiato de  cerca de 2 anos apenas com textos esporádicos e maior atividade apenas lá na página do Facebook.

Nas duas ultima semanas foram postados 2 novos textos, e um deles até foi publicado num dos agregadores de blogs dos quais participo tendo em um único dia mais de 2 mil acessos, coisa que para a internet como um todo é irrisória, porém para um blog pequeno e desconhecido como esse é muito. Junto com estes acessos me vi novamente em uma situação que há muito tempo já não me deparava por aqui: ler os comentários e modera-los antes de autorizar a publicação, e logo me voltou o antigo desagrado de me deparar com comentários escrotos com relação aos textos que produzo. 
Obviamente devido ao grande numero de acessos de pessoas que ainda não conheciam o blog em si muito menos este que vos fala, o Lorde Tirano, achei até compreensível o fato de que pelo menos metade das pessoas que comentaram não entenderam o espírito das coisas aqui escritas e muito menos meu estilo deveras escrachado de organizar e expor minhas ideias a respeito dos diversos assuntos. Eu não teria me incomodado em nada caso os comentários das pessoas que não entenderam/gostaram do que eu escrevi tivessem ao menos um mísero argumento, mesmo que falho, contra meu texto, porém não era isso que estava acontecendo...