GENERALIZAÇÕES !

CONSIDERAÇÕES SOBRE ESTE RECURSO MUITO UTILIZADO

MAS BEM QUE PODERIAM SER, HEIN, SUAS LINDAS... ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Hoje vamos falar sobre a generalização, um recurso discursivo muito útil, mas também muitas vezes mal usado por quem discursa ou mal interpretado por quem recebe a mensagem.

Pretendo deixar este assunto e a maneira como lido com ele o mais claro possível aos leitores neste momento pois assim passarão a ter maior facilidade de entender e digerir tudo aquilo que virei a escrever e descrever em posts futuros, evitando que os comentários feitos por vocês girem sempre em torno deste aspecto dos textos, como "Não generalize, Tirano","Nem todo mundo é assim!", "Seu idiota!" etc, etc, etc... colocando um ponto final a esta discussão, que caso reparem, vem desde lá do inicio nos comentários do primeiro e pré-histórico  texto aqui postado sobre machismo onde falei sobre homens e mulheres de maneira geral, mesmo sendo o primeiro texto e procurando deixar o tom de humor acima de qualquer outra coisa.

Então vamos dar uma passada rápida em uma definição do que seria uma generalização deste tipo que estamos falando.

WIKIPEDIA:
Generalização é um elemento fundamental da lógica e raciocínio humanoA generalização é uma dedução baseada na reunião de propriedades particulares que seu autor entende serem correlatas, que por inferência dá como resultado a atribuição dessas mesmas propriedades a objetos que esse mesmo autor entende serem similares. É uma estratégia de raciocínio, e não uma realidade comprovada. Ainda pode ser definida como operação do espírito que consiste em comparar as qualidades comuns a uma classe de indivíduos, desprezando as suas diferenças e reunindo essas qualidades comuns numa só ideia, que as fixa e define
Quem segue as coisas que escrevo, tanto aqui quanto no Facebook, percebe que a grande maioria das críticas que faço ao comportamento humano (e sim, admito que ás vezes faço uma sequencia grande  demais de críticas direcionadas especificamente ao sexo feminino em sua revolta feminista) é feita de uma maneira geral. Nada melhor então que utilizar um exemplo:


Como podem observar houveram 2 generalizações nesta situação, uma feita por mim na descrição da imagem quando disse que se tratava de um "Resumo da Ópera", querendo dizer que a maioria é assim mesmo, outra pela própria pessoa que escreveu o comentário sobre o comportamento feminino em questão ao dizer "Mulher gosta de..." deixando subentendido que por ser mulher ela sabe como a cabeça de seu gênero funciona melhor que ninguém.

Costumo acreditar que os homens, assim como as mulheres, apesar de diferentes em suas ações tem sim um comportamento muito similar, tendo uma diferença individual apenas nos freios morais que limitam suas ações, ou seja, estes limites variam de pessoa para pessoa. O fato de sabermos que cada ser humano tem um nível particular e pessoal com o qual esses freios são acionados derrubaria por si só qualquer generalização feita, porém, aposto que não só eu mas você também já percebeu que em alguns aspectos sociais nós, seres humanos, em sua MAIORIA, já largamos as rédeas destes ditos freios morais há muito tempo, e que apenas uma pequena minoria ainda se agarra a elas, por se fixarem em seus princípios intrínsecos à moral e à ética, não apenas para a convivência em sociedade, mas também para se proteger dos próprios exageros trazidos pelo egoismo inerente a todos nós e que pode causar grandes prejuízos.

Apesar de não dizer isso sempre, ou mesmo até nunca ter dito, fica implícito que eu, assim como qualquer outra pessoa por mais bem relacionada que seja, nunca conheceu nem jamais conhecerá todas as outras pessoas da face da terra, muito menos teria o tempo suficiente para realmente saber como elas agem e como são os limites destes tais freios morais.

O que acontece, como já foi dito, é que  ao observarmos o mundo a nossa volta somos capazes sim de descobrir em que níveis gerais estes freios andam em relação a alguns aspectos da sociedade. Como exemplo vamos pegar um caso extremo: Andar nú em público... quase ninguém faz isso, mas mesmo assim ainda aparece um ou outro dando uma volta pelado por uma orla movimentada ou até mesmo correndo peladão num campo de futebol em pleno jogo de domingo com as coisas penduradas e fazendo PIRUCÓPTERO.

Então se eu dissesse aqui agora que "Ninguém anda nú pela rua !" querendo afirmar que isso é uma coisa extremamente não usual e inclusive não recomendada, logo GENERALIZANDO, eu teria mesmo que parar, abrir parenteses e dizer que uma vez a cada ciclo lunar, alinhamento dos planetas  e vinda de Jesus na terra aparece um louco pra fazer isso ?

Acho que não né... todo mundo já sabe.

A generalização é um recurso muito útil, quando usada desta maneira.
Até porque é impossível (ao menos pra mim e ao meu estilo de escrita) escrever um texto, mais precisamente um post num blog como esse em que imperam a necessidade de síntese, a linguagem dinâmica, clareza e objetividade de raciocínio, fazendo-se todas as ressalvas necessárias. Eu estou escrevendo posts onde a ideia principal é ter o máximo de descontração nos assuntos mesmo que sérios, e não artigos científicos para concorrer ao prêmio Nobel. Indicar todas as exceções, circunstâncias, fatos e situações que fogem da regra geral (comportamento da maioria), transformaria qualquer post meu em uma enciclopédia, e sinceramente as vezes eu mesmo acho que já dou voltas até demais tentando exemplificar o que quero dizer pra justamente evitar mal entendimento da parte de quem lê...

A meu ver uma generalização só pode ser vista como errada em duas hipóteses claras:

1- Quando o texto ou o discursante afirma, veementemente, que exatamente TODAS AS PESSOAS do mundo agem de acordo com tal comportamento descrito por ele, pois como já disse anteriormente é impossível verificar e conhecer com certeza todas as pessoas da terra para assim essa afirmação poder ser confirmada.

2- Quando a generalização feita engloba na verdade uma minoria, ou seja, o contrário do que deveria ser. Por exemplo, dizer "Todo homem é um estuprador em potencial" (frase preferida das feministas mais neuróticas) é justamente um grande erro, pois o que caracteriza um estuprador não é apenas o fato de ter um pênis, como todo homem tem, mas na verdade ser psicologicamente desestruturado a ponto de achar que tem o direito de forçar uma mulher a praticar sexo contra sua vontade e consentimento, ato que apenas uma minoria extremamente pequena de homens doentes mentais e inaptos para o convívio em sociedade acabam por praticar, infelizmente. Afinal de contas se todos os homens, ou ao menos a maioria realmente fosse estuprador apenas por possuir um pênis o mundo seria um caos completo e todas as mulheres da face da terra já teria sido estupradas muitas vezes, somente indo na padaria buscar pão de manhã, por exemplo.

Neste momento, ainda mais se você for mulher e estiver lendo, deve estar se perguntando: 
"Ah, então quer dizer que você acha que a maioria das mulheres é assim Tirano !?"

O CAFAJESTE ADORADO POR TANTAS
Sim eu acho, justamente por isso disse que aquele post era um "Resumo da Ópera" e vou explicar os motivos. Como já citei antes obviamente não conheço todas as mulheres da terra para poder afirmar isso em 100%, porém já vivi, conversei observei histórias e relatos reais e até presenciei coisas o suficiente pra afirmar que este tipo de comportamento feminino não é apenas uma coisa rara, uma exceção, mas muito pelo contrário, é quase (e aqui está o detalhe) uma regra.

Inclusive já ouvi da boca de muitas mulheres que, assim como essa, confessaram esta tendência a infelizmente dar valor e se sentirem atraídas romanticamente geralmente apenas por homens da pior espécie, ou seja, os cafajestes, marginais, promíscuos e etc, mesmo sabendo que isso as prejudica e dado chance aos outros homens com essas características vilanescas em menores escalas (os vulgo bonzinhos) apenas na falta dos primeiros citados ou quando já estiverem velhas, sem beleza e juventude, características objeto de fascínio pelos cafajestes, ou então quando precisarem de um provedor, ou seja, de um bobo que as sustente mesmo sem ser realmente amado.

Quem aqui nunca ouviu nada disso que acabei de descrever ?

Qual homem bom nunca ouviu falar, nunca quis estar ou até mesmo, quem sabe, infelizmente já não passou pela situação de estar com uma mulher que ainda pensa ou pensava em algum outro vagabundo que só a usou e chutou ?


Eu estou louco ? Estou inventando estas coisas ?

Não, não estou.
Queria eu estar...


Eu admito e tenho plena ciência de que quando uma garota bacana, e que não possui estes traços psicológicos, me ouve falando estas coisas ou lê algum de meus escritos, em tom generalizado, principalmente, sente-se injustiçada e sendo forçada a vestir uma carapuça que não lhe pertence, então logo perde a compostura e acaba achando que eu, assim como muitos extremistas e também os cafajestes, acho que mulher nenhuma merece chance ou respeito, que teve ser usada e descartada para evitar problemas, ou seja, que GENERALIZO tudo.

Compreendo perfeitamente, pois, apesar de conseguir me manter calmo e entender o motivo da generalização, também me sinto um pouco atingido quando ouço alguma garota dizer coisas como "Homens são todos iguais, galinhas!".

Mas a estas mulheres e a outros homens como eu aconselho o mesmo que pratico nestes casos:

Não entro em discussões tentando provar que sou diferente, provo através da minha vida limpa e digna, sem dar nem ao menos uma palavra de satisfação e nem me deixando cair em desgraça pela decepção de não ser reconhecido.



Sem mais
De seu Lorde e Senhor
Tirano


Curta a pagina do TYRANT no FACEBOOK:
http://www.facebook.com/blogdotirano

6 comentários:

  1. Outras "Veridicas Tyranicas" Enfiadas Goela Abaixo. Texto muito Bom.
    O fato delas gostarem dos piores não me incomoda tanto assim, o pior da coisa é que elas não admitem isso.Vivem se usando do políticamente correto para enganar homens incautos pelas suas balelas, resultando em situações humilhantes como a conhecida friendzone, e várias outras que me reviraria o estômago só de serem citadas.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Tirano, meu Lorde e Senhor, gostei muito do seu texto, aliás, o Senhor pensa e escreve muito bem (para o meu gosto, pelo menos). Quando vc analisa que uma mulher sabe o q vai na mente das outras, pq são do mesmo sexo, lembrei de comentar q regra geral, isso é verdade, e para ambos os sexos. Prova, para mim é, que já ouvi "depoimentos" de homens, q afirmaram que todos (pelo menos no seu círculo de amizades), pensam da mesma maneira em relação ao sexo oposto. Confesso q fiquei surpresa e me senti uma idiota com determinadas afirmações, uma vez q não tinha me dado conta de muitas coisas q os homens em geral, costumam pensar. Me senti idiota pq já tinha passado por situações em q achava que o homem, vivia a situação pensando parecido com aquilo que eu pensava. Mas analisando novamente o acontecimento passado, percebi que era ingênua, mesmo. Mas tudo bem, superei essa ingenuidade idiota daquela fase da vida. kkkkk . Quanto à preferência de mulheres por cafajestes, concordo que essa tendência é muito forte (penso até q é uma doença psicológica/emocional), mas creio q muitas vezes, a mulher se sente atraída pelo cara, e se apaixona por ele, não é pq ele "não presta" (às xs ela nem sabe disso ainda...), mas sim, pelo jeito de ser do cafajeste. Ele é, ou se esforça pra ser, interessante, sedutor, romântico, inteligente, etc e tal, enquanto q o homem dito "bonzinho", geralmente é tímido ou inibido, e por isso mesmo não consegue se mostrar interessante, romântico, etc e tals. Dá pra entender o q quero dizer? . Enquanto o cafajeste, causa uma "ótima primeira impressão", o bonzinho precisa de mais tempo para mostrar como realmente ele é. Agora, vamos ser francos, se a mulher, conhece relativamente bem, tanto o cafajeste quanto o bonzinho, e prefere deliberadamente ter um relacionamento com o primeiro, ela pode ir se tratar com urgência, ou dar um tiro na cabeça, pq essa doença não se cura sozinha. Desculpem, mas eu realmente penso assim. Claro que temos a tendência de julgar os outros ou as situações por nossas próprias experiências, isso é normal. O q significa q sim, já me apaixonei por um cafajeste. Mas o q importa, é sair correndo, qdo comprovada ou descoberta a "cafajestice" do cara. Essa de que "ele não vale nada, mas sou apaixonada" é coisa de masoquista. Eu, hein?! Tô fora

    ResponderExcluir
  3. hahahahahahaha muito bom!

    ResponderExcluir
  4. Salve, Tirano, Lorde, Senhor, Majestade Imperial, Rei-sob-a-Montanha.

    Quanta coisa em um texto! Bem, para comenta-lo, vou dividi-lo em duas partes o meu comentario (sei que os meus comentarios podem parecer exaustivamente longos, mas espero contribuir com eles).

    Em primeiro lugar, sobre as generalizacoes. De primeira vista, principalmente quando se fala esta palavra num ambiente em que se tenta reinar o politcamente correto, generalizacao parece uma palavra tao abominavel que as pessoa preferem rejeitar a minima possibilidade da existencia desta palavra e do conceito ao qual esta palavra se relaciona, como se ela devesse ser apagada dos dicionarios e de sua mencao na historia da humanidade (ao melhor estilo orwelliano de novilingua). Mas acontece que a mente da pessoa sempre ira' buscar generalizacoes, pois toda forma de generalizacoes e' o que permite com que a mente consiga compreender o mundo, pois todo pensamento necessita de algum padrao observavel. A propria palavra "generalizacao", entretanto, implica na consciencia de que esta' se falando de uma maioria em detrimento de uma minoria.
    Claro que cada caso pode ser visto como um caso, mas isto nao significa que nao seja possivel classifica-lo. A medicina atual funciona neste sentido: se usa de procedimentos, tratamentos e remedios que funcionaram com a maioria.
    Se quiser pegar algum exemplo mais pratico sobre o comportamento das pessoas, podemos citar o exemplo da Tipologia de Myers-Briggs para classificacao das personalidades, em que se elabora um esquema para classificar todas as personalidades das pessoas em exatos 16 tipos (que nao deixam de ser uma generalizacao, mas uma generalizacao que serve a dar ordem a um aparente caos).

    Por assim dizer, uma generalizacao so' deixa de ser algo pratico:
    -quando ela se refere a menos de 49,9% como se eles fossem mais do que a metade de um grupo abordado
    -quando nega a existencia de uma minoria (Karl Popper viveu e morreu falando deste problema, que seria o chamado de problema da inducao)

    Att,
    Anon Ninmus IX, campones e servo

    ResponderExcluir
  5. Salve, Tirano, Lorde, Senhor, Majestade Imperial, Rei-sob-a-Montanha.


    Em segundo lugar, me referindo `a questao de mulheres preferirem cafajestes, posso nao ter certeza de que "todas as mulheres preferem", mas o fato de ouvir muitos depoimentos falarem que preferem, isso nao ajuda a acreditar na hipotese de elas "nao preferem". Algumas possiveis causas a este comportamento:
    -Imprevisibilidade como sendo algo bom (se formos levar em conta gestos romanticos, eles geralmente sao tidos como romanticos por causa disto, por serem imprevisiveis).
    -Acham que podem muda-los para algo melhor (no seriado Todo Mundo Odeia o Chris, o dono do mercadinho comenta esta possibilidade. No seriado Two and a Half Men, tinha uma namorada do Charlie Harper que tentou isso e o Charlie, numa tentativa de nao ser domesticado desta forma, rompe com ela num restaurante vegetariano)
    -Argumentando-se do ponto de vista antropologico, pode-se pensar que os homens safados remontariam a uma epoca pre-historica, em que os mais fortes e agressivos teriam maiores chances de sobrevivencia. As mulheres estariam instintivamente atraidas por estes, numa melhor tentativa de perpetuar a especie e seria muito dificil domesticar conscientemente um instinto de centenas de milhares de anos.

    Deixando-se de lado estas tres argumentacoes e outras possiveis que possam existir, uma coisa que eu notei quando se falam neste assunto e sempre me mostrou bem clara que pode confundir os debates neste assunto. Sempre se tem dois lados bem distintos, sendo um o lado dos bad boys e o outro o lado dos mocinhos ingenuos. A questao e' que as pessoas nao sao tao binarias a este ponto. Nao existe anjos e demonios na humanidade, mas apenas variacoes e niveis de virtudes e vicios e, para somar a esta equacao, existe uma outra variavel: a questao da introversao e extroversao. Exatamente por isso eu acho que se pensarmos nesta outra questao, poderiamos estabelecer um patamar mais elevado neste tao antigo debate, pois estariamos chegando a um outro tipo de pergunta que talvez seja mais simples de se pensar: Quais os vicios e virtudes, e quais os seus graus, que tornam uma pessoa atraente ou repulsiva?


    Att,
    Anon Ninmus IX, campones e servo

    PS: o comentario original ficou longo, entao dividi em duas partes.

    ResponderExcluir
  6. Olá, acho que é a segunda vez que entro aqui, mas gostei desse e do primeiro texto que li!
    Bem.. Eu sou mulher, e não fiquei ofendida com texto por justamente ver que não me encaixo na descrição. A única coisa chata que eu acho é o fato de que muito homens não têm essa percepção de que nem todo mundo é assim, há exceções. Então, muitos já vêm para cima agressivos e generalizando de maneira imprópria, achando obrigatório que eu tenho de prová-los isso. É como nas vezes em que me relacionei com caras realmente bacanas, mas sempre chegava a hora de que eu tinha que me provar merecedora do amor deles. Isso bem é chato, eu sei que eles são assim na defensiva, porque já se magoaram. Mas, é chato já terem uma pré-concepção sobre você, porque é mulher, e que cedo ou mais tarde, você vai magoá-lo, colocando um peso, que não é seu, sobre suas costas. Não digo que as mulheres não fazem o mesmo, mas eu não faço isso, e esperava que um cara bacana não o fizessem também. Até porque há inúmeras razões pelo qual um relacionamento não dá certo, e os envolvidos saem machucados.
    Enfim, não sei se eu fugi do assunto, mas lendo isso fez com que me lembrasse disso. E é claro, como mulher, dói um pouco ver falando isso das mulheres, por mais que saiba que não esteja generalizando, é o mesmo que ocorre quando você vê uma falando que todos são galinhas. Mas, eu tento me manter longe dessa guerra.

    ResponderExcluir

*OBSERVAÇÕES SOBRE OS COMENTÁRIOS
-Comente! Sua participação incentiva o autor, e além disso sabemos que você não esta fazendo nada mesmo, né...
-Se for comentar como anônimo crie ao menos um pseudônimo para se identificar no final do comentário.
-Seu comentário será liberado e respondido assim que aprovado.
-Comentários ininteligíveis ou apenas com a intenção de ofender o autor do texto ou algum outro comentador serão ignorados. Nem tente.
-Os comentários e opiniões são de total responsabilidade de quem os postou. Tenha moderação e educação para não se foder depois.
-Lembre-se que vivemos na era do mimimi e do "Vou te processar!".